Vereadora pede providências sobre a reabertura da Cadeia Pública de Rinópolis

A vereadora Graziela de Lima Tomé Trevisan apresentou na Câmara Municipal, em sessão realizada dia 13/06, indicação ao prefeito Valentim Trevisan, pedindo providências para que seja impedida a reabertura da Cadeia Municipal em Rinópolis “até que seja designado delegado de Polícia, além de carcereiros, policiais civis e militares em número suficiente para manter a ordem e segurança do município e da cadeia, evitando-se assim, que a Cadeia Pública venha reduzir o número, já pequeno, de policiais em atividades preventivas e judiciárias”, conforme frisou em sua indicação.

 

   
Vereador quer instalação de Posto de Atendimento da EEVP na cidade

O vereador Airton Picolo apresentou na sessão da Câmara Municipal do dia 13/06 indicação ao Executivo para que entre em contato com a EEVP (Empresa Vale Paranapanema), “solicitando e encarecendo a necessidade urgente de abertura de um Posto de Atendimento ao Cliente em Rinópolis, como referência ao consumidor”.

Segundo o vereador, “em tempos passados, Rinópolis contava com local apropriado para orientação e socorro da população nos assuntos relativos à energia elétrica e esse serviço local foi retirado e hoje o consumidor é atendido somente pelo sistema Call Center, através um telefone 0800, que não responde às necessidades do consumidor, é de difícil acesso, em especial pelas pessoas humildes, e que, em alguns casos, não dispõem de telefones em suas residências”.

“Em casos de socorros de urgência, o 0800 é inteiramente nulo, deixando o consumidor entregue à sua própria sorte. Com a retirada do atendimento local, o consumidor rinopolense tem o seu relacionamento distanciado do seu fornecedor, a EEVP, e fica em situação de completo abandono”, considerou Airton Picolo em sua indicação.

                                                                   

  M.C.  

  

 

 

 

 

 

   
Moradia em área de risco é regra, não exceção, diz Dilma
Presidente anuncia R$ 1 bilhão em ajuda. Ela disse que governo federal vai trabalhar com estado e municípios. Após sobrevoar a Região Serrana do Rio nesta quinta-feira (13), a presidente Dilma Rousseff e o governador Sérgio Cabral falaram sobre os trabalhos de resgate e reconstrução nas áreas atingidas pela chuva. “É de fato um momento muito dramático. As cenas são muito fortes. É visível o sofrimento das pessoas. O risco é muito grande”, disse Dilma. Sobre a prevenção de deslizamentos, Dilma disse que a questão é de ocupação adequada do solo. "A prevenção não é uma questão de Defesa Civil apenas. É uma questão de saneamento, drenagem e política habitacional de governo", disse Dilma. "A moradia em área de risco no Brasil é a regra, não é a exceção", afirmou. As chuvas na Região Serrana do Rio deixaram centenas de mortos em pelo menos quatro municípios desde terça-feira (11).
   
Centrais sindicais pedem negociação com Dilma sobre salário mínimo
Paulinho da Força ameaçou entrar na Justiça se não houver negociação. Deputado se reuniu com Luiz Sérgio e pediu mínimo de R$ 580. O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), afirmou nesta quarta-feira (12) que as centrais sindicais vão promover uma “enxurrada de ações judiciais” contra o governo federal, caso a presidente Dilma Rousseff não abra uma linha de diálogo com as entidades até a próxima segunda-feira (17). Argumentando que Dilma teria colocado “uma corda no pescoço dos trabalhadores”, Paulinho da Força, como é conhecido o deputado, afirmou que as centrais sindicais decidiram, em reunião na terça-feira (11), enviar uma carta a Dilma pedindo a abertura de negociações. A ofensiva no Judiciário, segundo Paulinho, será adotada caso Dilma não acolha a proposta de reajuste da tabela do Imposto de Renda em 6,47%.
   
Governo do Tocantins corta mais de 15 mil cargos de comissão
Anúncio foi feito pelo secretário de Administração, Lúcio Mascarenhas. Economia prevista com os cortes chega a R$ 210 milhões ao ano.
   
Dilma reúne 11 ministros para tratar de erradicação da miséria
Entre presentes, estão ministros da Educação, Saúde e Fazenda. Ao assumir cargo, presidente apontou fim da miséria como prioridade. A presidente Dilma Rousseff reúne nesta quinta-feira (6) 11 ministros no Palácio do Planalto para discutir meios de erradicar a miséria no Brasil. O tema é uma das prioridades do novo governo.
   
Ex-vice presidente José Alencar
Alencar se alimenta normalmente e será submetido a sessão de diálise Ex-vice-presidente tem episódios intermitentes de sangramento, diz hospital. No entanto, sangramento desta sexta 'aparenta estar controlado'.
   
Alckmin diz que irá discutir ampliação de aeroportos com governo federal
Governador de SP diz que Cumbica e Viracopos são prioridade. Vice-presidente Michel Temer diz que haverá 'parceria' entre os governos. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou, em encontro com o vice-presidente Michel Temer nesta quinta-feira (6), que irá discutir com o governo federal a ampliação dos aeroportos do estado. A declaração foi feita no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul da capital paulista.
   
Governo vai elaborar ‘PAC da erradicação da miséria’
Presidente reuniu ministros para discutir meios de acabar com a pobreza. Objetivo é garantir inclusão produtiva e ampliação de serviços, diz ministra. A ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, disse nesta quinta-feira (6) que o governo vai elaborar uma espécie de “PAC da erradicação da miséria". O anúncio foi feito após reunião com a presidente Dilma Rousseff e mais 10 ministros.
   
Senado abre sindicância para apurar possível nova 'farra de passagens'
Ato assinado pelo primeiro-secretário da Casa ordena investigação. Empresa responsável pelo serviço tem contrato anual de R$ 2,2 milhões. O primeiro-secretário da Mesa Diretora do Senado, senador Heráclito Fortes (DEM-PI), ordenou no último dia 22 de dezembro a instalação de uma sindicância interna no Senado para apurar irregularidades envolvendo a emissão de passagens aéreas para senadores.
   
Maia se reúne com PDT em São Paulo e sai sem declaração de apoio
Encontro reuniu nove deputados pedetistas e sete petistas. Partido apresentou propostas de discussão sobre reajuste do salário mínimo. A reunião entre o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), e deputados do PDT para discutir apoio à candidatura do petista à Presidência da Casa, nesta quinta-feira (6), em São Paulo, terminou sem acordo.
   
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 
JORNAL SÃO PAULO CENTER
Telefones: (11) 3374-3333 ou 9-9298-9006 - WhatsApp (11) 9-5847-9889 tim
  Site Super