Médico denuncia desvio de verbas no Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos

Dr.Alfonso Maria Garcia Bittencourt foi eleito diretor clínico do hospital, mas ainda não tomou posse porque não teria concordado em compactuar com irregularidades.

 

Milhares de pessoas que dependem de atendimento e tratamento médico no Hospital Regional “Dr.Osires Florindo Bittencourt”, de Ferraz de Vasconcelos, estão sendo prejudicadas em consequência de um impasse na gestão do estabelecimento que se arrasta desde março deste ano. E pior que isso: estariam ocorrendo graves irregularidades administrativas que agravam ainda mais o já normalmente deficiente atendimento do hospital de Ferraz.

 

O problema todo começou com a eleição, em março, do dr. Alfonso Maria Garcia Bittencourt para as funções de diretor clínico. A eleição foi realizada pelos médicos que prestam serviços no hospital e homologada pelo Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo), conforme determina a Secretaria Estadual da Saúde.

 

O médico eleito deveria ter tomado posse em maio. Sua posse, porém, está sendo impedida pelo diretor técnico Dirceu Yoshiaki Kanaguchi que, a revelia da legislação que legitima a eleição, indicou para o cargo o dr. Joaquim Manoel Secani.

 

Esta situação já foi encaminhada ao Ministério Público, à Secretaria da Saúde e, na forma de denúncia por “desvios de verbas públicas”, ao delegado dr. Valter Lobisani, titular da delegacia de Polícia de Ferraz de Vasconcelos.

 

Segundo o dr. Alfonso Bittencourt, na época da eleição ele foi procurado pelo dr. Dirceu Kanaguchi que teria lhe oferecido plantões extras para que, após sua posse, a grade administrativas de plantões continuasse com ele (dr. Dirceu). “Com a minha resposta negativa, ele nomeou o dr. Joaquim Manoel Secani para o meu lugar, sendo que nenhum dos dois respondem civil ou criminalmente pelo fato, o que configura falsidade ideológica”, informa Bittencourt.

 

Segundo ele, “é prática comum vários médicos receberem por plantões extras sem tê-los realizados, sendo que esses recebimentos são devolvidos no todo ou em parte para a diretoria técnica”. O médico afirma que isso já “resultou no pedido de exoneração de vários profissionais honestos para não serem envolvidos em negócios escusos”.

 

O dr. Bittencourt afirma que está sendo perseguido no hospital pelos dois colegas, drs. Kanaguchi e Secani. “Circula no hospital um abaixo assinado solicitando minha destituição da diretoria clínica pelos colegas médicos, através de sindicância. O dr. Secani anda pelo hospital acompanhado de um psiquiatra, o dr. Aloísio Priuli, difamando-me, dizendo que eu estou num surto psicótico, sem condições de exercer as minhas funções, o que é inverídico, pois estou no pleno exercício das minhas faculdades físicas e mentais. Também fui ameaçado pelo dr. Secani, que afirmou que eu sofreria ‘consequências’ se continuasse insistindo em assumir a diretoria clínica do hospital”, denuncia o dr. Alfonso Bittencourt.

 

Segundo o médico denunciante, a situação do Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos atualmente é “caótica”. Ele revela que foram fechadas a UTI Pediátrica e a CTI Adulto e faltam plantonistas durante a semana e, principalmente, nos fins de semana, pois “os doutores Kanaguchi e Secani não organizam o hospital”.

 

“O governador Geraldo Alckmin e o secretário Giovanni Guido Cerri providenciam recursos para o perfeito funcionamento do hospital, porém, infelizmente, esse grupo, através de desvios de verbas públicas, não permite o atendimento correto e humano à população”, finaliza Bittencourt.

 

A reportagem do jornal Arujaense tentou, na última sexta-feira, falar com os médicos citados mas não conseguiu encontrá-los.

 

O Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos atende uma média de 30 mil pacientes por mês em dez municípios do Alto Tietê, entre eles Arujá, Itaquaquecetuba, Poá e Suzano.

 

Moacyr Custódio

 

 

 

 
 
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 
JORNAL SÃO PAULO CENTER
Telefones: (11) 4653-3681 ou 9-9298-9006 - WhatsApp (11) 9-5847-9889 tim