no site na web Voltar ao inícioHomePesquisarPesquisarMapa do siteMapa do Site
Curso para Treinador de Futebol dias 08 de março de 2018 em Aruja SP

PRONTO SOCORRO DA SANTA CASA DE SÃO PAULO CONTINUA FECHADO

Sem prévio aviso e em pleno horário de intensa demanda de pacientes, a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo fechou o Pronto Socorro de seu Hospital Central, localizado na rua Cesário Mota Júnior, no bairro de Santa Cecília. A decisão foi tomada na tarde da terça-feira (22) e comunicada através de cartazes colocados nas duas entradas da instituição. Com o fechamento do PS, a Santa Casa suspendeu o atendimento a casos de urgências e emergências. Uma média de cinco mil pessoas são atendidas diariamente no pronto socorro, entre elas vítimas de acidentes de trânsito que tem média altíssima na Capital. Na quarta-feira também estavam suspensas a marcação de consultas eletivas. O motivo alegado é a total falta de recursos financeiros, o que provocou, também de uma hora para outra, a suspensão da entrega de materiais e medicamentos básicos por parte dos fornecedores. “Falta dinheiro. Nós fomos chegando a um ponto em que os fornecedores não querem mais fornecer porque nós estamos devendo”, disse na quarta-feira de manhã o provedor Kalil Rocha Abdala, que foi reeleito para o seu terceiro mandato em abril deste ano. “Nós não estamos conseguindo comprar o material necessário para o funcionamento do pronto socorro. Temos uma situação financeira aflitiva”, acrescentou. Segundo o provedor, “não tem material nenhum”. “Não tenho seringa, não tenho esparadrapo, não tenho remédio”, disse de forma direta o provedor Abdalla, advogado de 72 anos, que também foi candidato à presidência do São Paulo F.C. este ano e foi derrotado por Carlos Miguel Aidar. A dívida da Santa Casa apenas com os fornecedores chega a R$ 50 milhões e o total da dívida foi avaliado no mês passado em R$ 350 milhões. Os recursos do hospital vêm de repasse dos governos federal e estadual e do SUS (Sistema Único de Saúde). O provedor afirma que os pagamentos feitos pelo SUS estão defasados, cobrindo apenas metade do valor dos procedimentos. “Há 10 anos a tabela do SUS não é reajustada”, informou Abdalla. Informado sobre a situação da Santa Casa de São Paulo, o Ministério da Saúde afirmou, em nota, que está repassando R$ 168 milhões à instituição de um total de R$ R$ 345 milhões que serão repassados em dois anos. Já o Governo do Estado informou que tem R$ 303 milhões previstos para 2014. Segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o governo destinou R$ 511 milhões extras para 125 santas casas, dentro do programa “SOS Santas Casas”. Quanto a reabertura do pronto socorro e a volta a normalidade nos atendimentos, o provedor foi taxativo: “preciso de dinheiro para pagar os fornecedores”, disse ele. Uma reunião emergencial entre as autoridades da área da Saúde estava marcada para a tarde de quarta-feira. Os pacientes que normalmente são atendidos na Santa Casa estavam sendo encaminhados ao Hospital das Clínicas e outros hospitais públicos de referência. Na manhã de quarta-feira, o Governo do Estado anunciou a liberação de R$ 3 milhões. Até o fechamento desta edição a situação estava inalterada. A Santa Casa de São Paulo é considerado o maior hospital filantrópico da América Latina. São oito mil atendimentos diários em todas as suas unidades, cerca de 3,5 milhões por ano. É uma instituição secular, fundada em 1.560. O prédio da Santa Cecília, que inclui também o Hospital Santa Izabel, foi inaugurado em 1884. Em todas as unidades são 2.510 leitos. O total de funcionários é de 18 mil pessoas. MOACYR CUSTÓDIO (moacyrcustodio@spcenter.com.br) Curtir

 
 
Voltar Topo Indicar a um amigo Imprimir
 
JORNAL SÃO PAULO CENTER
Telefones: (11) 3754-2364 ou 9-9298-9006 - WhatsApp (11) 9-5847-9889 tim